Thursday, January 31, 2008

Juno

Juno é, para mim, a prova viva de que a cena "alternativa" e "indie" (o que quer que isso signifique nos dias de hoje) é actualmente mais "mainstream" do que outra coisa qualquer. Cada vez menos faz sentido, na minha opinião, essa categorização na maior parte dos projectos que dizem sê-lo.

Colocando essa questão de parte, Juno é um bom filme, é divertido, interessante, actual e tudo isso. Não acho que seja, no entanto, o filme que a crítica faz crer que seja.

Primeiro discordo um pouco da excessiva categorização do filme como "comédia". Sim, o filme tem algumas cenas engraçadas e os diálogos têm piada, mas na minha opinião o drama tem uma importância maior nesta história (mas se calhar "comédia" vende melhor).

Juno conta a história de Juno, uma adolescente "diferente" (que é um pouco o estereótipo do que actualmente se define como "indie") que, ao engravidar toma a decisão de dar o bebé para adopção ao invés de recorrer ao esperado aborto.
Claro que nem tudo corre como o previsto e alguns acontecimentos parecem abalar o acordo que foi inicialmente feito com o casal adoptivo. Pelo meio e a juntar aos problemas da gravidez surgem também alguns problemas típicos da adolescência.

A jovem Ellen Page esteve muito bem no papel da personagem única que é Juno. A sua prestação valeu-lhe a nomeação para o Oscar de melhor actriz principal e a essa nomeação juntaram-se as de Melhor Filme, Melhor Realização (Jason Reitman) e Melhor Argumento Original (Diablo Cody) fazendo deste filme uma das maiores surpresas da cerimónia deste ano.
Não me parece, porém, que Juno vá ser galardoado com algum destes prémios. A ver vamos.

Não se pode falar de Juno sem referir a banda sonora que é de facto muito boa e inclui muitos dos nomes de top do universo "indie/alternativo". De Belle and Sebastian, passando por The Kinks, Sonic Youth, Cat Power, até Velvet Underground... Todas as músicas encaixam perfeitamente na mood do filme.

Juno é tudo o que se esperaria de um filme "indie" e é precisamente esse o ponto mais me deixa de pé atrás.


13bly

4 comments:

Anfilófio said...

não fui eu que te recomendei este?:D
estar a achincalhar o filme pah..devias ter referido o seu baixo custo de produção..esse sim um o da simplicidade da realização que faz deste um Grande filme(entre outros).O humor está sempre presente em todo o filme, sendo no entanto dificil a sua categorização porque o drama do tema aborto também esta presente.
Quanto aos óscares prevejo uma vitória em grande da menina Ellen Page e talvez o de melhor argumento.

Runcolho said...

Sim o seu baixo orçamento... vamos todos dizer que o filme é bom só porque custou menos (e menos significa 7,5 milhões de dólares).
Eu não acho que este filme tenha custado menos, os outros é que custam mais.

E depois, atenção que eu não disse que não gostei do filme. Gostei, simplesmente acho que caiu um bocado no estereotipo daquilo que se diz ser alternativo, não por motivo de liberdade de criação mas porque está "na moda".

Custa-me a crer que ela ganhe o Oscar. A ganhar algum prémio concordo contigo que talvez seja o de argumento original (à semelhança da surpresa do ano passado, Little Miss Sunshine)

Anfilófio said...

mas vai ganhar vais ver..pagas-me um copo se ela ganhar!:D

Runcolho said...

Fica prometido!